OS CIRURGIÕES CARDIOVASCULARES FAZEM A NOSSA HISTÓRIA – Dr. Paulo Roberto B. Evora

Logo cirurgiões
Dr. Paulo Roberto B. Evora: “Todo cirurgião deve ser um cientista”

Prof. Paulo Evora é formado em Medicina na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP), onde também realizou sua residência de Cirurgia Geral e Cirurgia Torácica e Cardiovascular e defendeu sua tese de Doutorado em 1980.  Possui uma extensa trajetória de pesquisa e ensino, sendo Professor Livre-Docente na mesma instituição e coeditor do Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery (BJCVS). Dr. Paulo, quando estudante de Medicina, havia optado por Neurologia e mudou de especialidade no quinto ano da faculdade, quando assistiu sua primeira cirurgia cardíaca: uma correção de comunicação interatrial com Circulação Extracorpórea.

Chefe do Departamento de Cirurgia e Anatomia – Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP

Quando indagado sobre o que motivaria um estudante de medicina a escolher a Cirurgia Cardiovascular como especialidade, afirma categórico que a especialidade deve ser uma paixão incurável. Para o Dr. Paulo, a beleza  de “parar um coração, consertá-lo, e iniciá-lo novamente”‘ deve suplantar qualquer ganho monetário ou de prestígio que o estudante possa ganhar.  O estudante, segundo ele, deve ser desafiado a escolher outra especialidade, pois a paixão pela especialidade deve ser cultivada antes da escolha de outra atividade que possa ter um futuro mais previsível. A Cirurgia Cardíaca deve ser uma paixão incurável.

Dr. Paulo cita como mestres nomes como, Albert Amin Sader, João José Carneiro da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Dr. Hartzell Schaff, da Mayo Clinic, o Professor Zerbini e Paulo José de Freitas Ribeiro, com quem  trabalhou por mais de 20 anos e quem lhe deu a oportunidade de realizar sua primeira cirurgia cardíaca como cirurgião principal, uma comissurotomia + papilotomia mitral.

Comparando seu início como cirurgião com a época atual, Dr. Paulo afirma que o cirurgiões cardíacos brasileiros sempre estiveram à altura dos melhores centros do mundo. A diferença principal, segundo ele, é a melhoria técnica dos equipamentos utilizados em cirurgia, mas os cirurgiões brasileiros evoluem sem nenhum atraso em relação ao resto do mundo.

Devido às suas contribuições à ciência, ao ensino de Cirurgia Cardiovascular, incluindo seu papel como coeditor do Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery, Dr. Paulo Evora recebeu o Prêmio de  Personalidade do Ano 2018 no 46º Congresso da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCCV), realizado em Nova Lima – MG, em Abril desse ano. Dr. Paulo é merecedor do justo reconhecimento como cirurgião, professor e, sobretudo, como cientista, sendo um dos responsáveis por colocar a Cirurgia Cardiovascular brasileira a nível dos melhores centros do mundo.

Prêmio Zerbini 2018

Fonte: entrevista concedida ao BJCVS.

1

Posts relacionados